Home / Economia / Saiba quais são os riscos, consequências e cuidados ao “emprestar o nome” para compras e negócios
Foto: Reprodução / BNews

Saiba quais são os riscos, consequências e cuidados ao “emprestar o nome” para compras e negócios

Espalhe por ai:

Veja como sair dessas situações que afligem muitos brasileiros e trazem riscos de negativação no mercado

O tio que perdeu o emprego, o neto que precisa de uma moto para trabalhar, o irmão que teve o celular roubado e até aquele amigo que busca um empréstimo para criar o próprio negócio. Todos têm ou já tiveram algum amigo ou parente passando por uma situação financeira complicada.

Se você tem o hábito de controlar as contas e manter as finanças em dia, muito possivelmente, já recebeu um pedido para emprestar o nome, fazendo um empréstimo ou compra no cartão para outra pessoa.

Nessas horas, é natural querer ajudar. Porém, é necessário ter cuidado. Por mais bem-intencionada que a pessoa seja, se ela não conseguir pagar, quem irá assumir a dívida e até ficar endividado é você.

De acordo com pesquisa realizada pelo Serasa e Opinion Box em 2023, emprestar o nome é a causa de endividamento de 17% dos brasileiros. A seguir, Camila Poltronieri Flaquer, head de Cobrança Digital da Recovery, lista algumas medidas e cuidados a serem tomados para evitar que isso aconteça.

Riscos de emprestar o nome 

O principal risco ao emprestar o seu nome é a pessoa não pagar o que combinou com você e, nesse caso, a dívida se torna sua. Isso porque, do ponto de vista legal, o responsável pela compra é o dono do cartão de crédito ou, no caso de empréstimo, quem assinou o contrato.

Caso a pessoa não possa arcar com o pagamento, seu nome pode ser negativado, ou seja, ser incluído nas listas de restrição de crédito. Quando isso acontece, o score de crédito é reduzido.

Com isso, fica mais difícil parcelar suas próprias compras ou contratar um empréstimo. Ou seja, por mais que você mantenha a sua vida financeira em ordem, o erro de outra pessoa pode fazer com que você tenha problemas.

Cuidados a tomar ao emprestar o nome

Mesmo com consciência dos riscos envolvidos, muitas vezes escolhemos emprestar o nome para um amigo ou alguém da família. Ao tomar essa decisão, é importante colocar a razão antes da emoção e adotar algumas medidas para se proteger:

Combine com a pessoa como e quando ela irá te pagar. Pode ser tudo de uma vez ou em parcelas, à medida em que elas forem cobradas de você. Definir datas de pagamento é importante para deixar tudo mais claro.

Procure orientação jurídica e faça um contrato. Coloque o que foi combinado no papel e assinem o acordo de pagamento. Assim, você fica com uma camada a mais de segurança.

Outra maneira de se proteger é definir um bem como garantia, como um celular, computador ou até o carro. Assim, se a pessoa não honrar o que foi acordado, o bem pode ser vendido para quitar a dívida e você não fica no prejuízo.

Por último, mas não menos importante, caso a pessoa não pague na data combinada, não tenha vergonha de cobrar.

Fiquei com a dívida de outra pessoa no meu nome. E agora? 

Você emprestou o seu nome, mas seu amigo ou familiar não pagou? A dívida ficará sob sua responsabilidade. Em primeiro lugar, busque conversar com a pessoa que está devendo, para entender as razões e propor uma nova forma de acordo. Assim, vocês podem encontrar um caminho que funcione para ambos.

Outra medida importante é falar com o credor e renegociar a dívida. Quanto antes a pendência for resolvida, melhor e você irá pagar menos juros, reduzindo o valor total. Isso é especialmente importante no caso do cartão de crédito, que tem juros altos, mas vale para qualquer empréstimo ou crediário.

Assim que assinar o contrato de renegociação e começar a quitar, se esta for sua única pendência, seu nome será retirado da lista de inadimplentes e você poderá retomar o controle de sua vida financeira.

Fonte: BNews

Espalhe por ai:

Sobre Jefferson Cleiton

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Vacina nacional contra Covid-19 está em fase avançada, afirma ministra

Espalhe por ai: A primeira vacina 100% brasileira para a Covid-19, está ...

Justiça anula julgamento do ator Alec Baldwin por homicídio culposo em set de filmagem

Espalhe por ai: A Justiça norte-americana anulou o julgamento do ator Alec ...